Blog

Inovação na gestão pública: como a tecnologia pode ajudar?

Escrito por:Digix 20/09/2021 8 min

Com a transformação digital, é praticamente impossível encontrar qualquer atividade que não envolva tecnologia, seja em empresas privadas ou no governo. Para garantir um bom desempenho e otimizar a gestão, é preciso estar preparado para apostar na inovação na gestão pública e contar com ferramentas tecnológicas para isso.

Se você quer fazer isso, mas não sabe por onde começar, não se preocupe. Neste post, você vai descobrir as razões pelas quais é tão importante inovar no setor público, quais são as principais tecnologias disponíveis para o setor, como elas contribuem para a gestão e como você pode implementar no local onde atua. Vamos lá?

Por que inovar no setor público?

A tecnologia trouxe consigo uma série de avanços importantes em todos os segmentos. No setor público, suas ferramentas são essenciais, não só para o funcionamento dos serviços governamentais, como para a inovação dos seus processos e da sua estrutura.

As pessoas estão cada vez mais conectadas, informadas e munidas de ferramentas que “resolvem” os seus problemas na palma da mão — mais precisamente, nos seus smartphones. Na esfera privada, é possível pagar contas, efetuar pedidos, ser atendido e muito mais, tudo pelo celular, de forma quase automatizada e muito intuitiva.

Isso influencia as expectativas que a população tem sobre o seu relacionamento com o governo. Em outras palavras, os indivíduos esperam conseguir informações transparentes sobre a gestão de seus municípios, estados e do país.

Mas não para por aí. Se muitas resoluções tecnológicas funcionam para o setor privado, por que não utilizá-las para inovar no setor público? Logo, é inegável a importância da inovação e da tecnologia trabalhando juntas para promover melhorias na gestão pública e criar alternativas, como:

  • integração de secretarias e departamentos;
  • melhoria na comunicação e na tramitação de documentos entre os órgãos;
  • armazenamento ágil e seguro dos dados do estado;
  • aperfeiçoamento e otimização dos processos;
  • geração de informações transparentes e atualizadas sobre a gestão.

Mas você sabe, afinal, como isso é viabilizado?

Quais são as principais tecnologias para o setor?

Não faltam dados para comprovar a morosidade dos processos públicos — muito disso, devido ao excesso de burocracia e à ineficiência dos fluxos operacionais internos. Para superar esse tipo de situação, muitas alternativas estão sendo construídas para proporcionar a digitalização e a automação dos sistemas de gestão pública.

O objetivo é tornar o estado mais ágil e eficaz. Entre as soluções desenvolvidas para tanto, estão os robôs de atendimento automatizados, as plataformas virtuais de agendamentos, os multicanais de comunicação instantânea e assim por diante.

Esses são apenas alguns dos mecanismos tecnológicos que servem para melhorar o relacionamento com os cidadãos e também ajudam a compreender melhor as suas necessidades. Muitas outras opções vêm sendo, aos poucos, disponibilizadas e entregues para o setor público, tais como:

  • recursos de computação em nuvem;
  • análises de big data;
  • uso de inteligência artificial;
  • adoção da economia colaborativa;
  • sistemas integrados de gestão;
  • gerenciamento eletrônico de documentos públicos.

Apesar de o processo de implementação dessas tecnologias ser lento no setor público, ele vem avançando nos últimos anos e a tendência é de que continue assim. Existe uma grande demanda e, por consequência, uma excelente oportunidade de desenvolver cada vez mais essas alternativas, para que elas se adaptem para o cenário público e contribuam com a gestão do governo.

Uma boa medida para acelerar esse processo, especialmente para fomentar os investimentos em tecnologia, são as parcerias com empresas privadas por meio de terceirização.

Como elas ajudam a gestão pública?

Com uma estratégia eficiente, a tecnologia ajuda a alavancar a qualidade dos serviços públicos. Isso significa que ela proporciona soluções personalizadas para atender a demandas específicas, correspondendo às expectativas e necessidades da população.

Alguns exemplos do que pode ser gerado no setor público são:

  • automação de processos, agilizando e facilitando tarefas;
  • uso eficiente de dados, informações e soluções digitais;
  • decisões orientadas por dados;
  • acesso rápido e fácil às informações do serviço público;
  • melhor controle dos processos internos;
  • monitoramento do andamento de cada procedimento;
  • otimização do uso de recursos;
  • aperfeiçoamento dos serviços e melhor aproveitamento do orçamento público;
  • ganho de produtividade e economia no setor;
  • maior espaço e recursos para investir em outros projetos.

No entanto, para isso, é preciso escolher entre montar uma equipe interna especializada ou recorrer a uma terceirizada, com mão de obra, estrutura e expertise na área. Essas empresas, geralmente, estão mais bem preparadas para desenvolver soluções de ponta, que podem ajudar a melhorar a segurança, a educação e a própria gestão pública.

Com conhecimento técnico e os recursos certos, é possível mapear as principais vulnerabilidades da gestão e atender a elas com soluções eficientes. Isso pode representar o melhor bem-estar da população, além da sua satisfação.

De que forma implementar novas tecnologias?

É interessante destacar que a implementação de novas tecnologias e inovação no setor público é um processo de construção, que deve seguir algumas etapas para garantir o seu bom funcionamento. Um primeiro passo relevante é se certificar de que você pode contar com a participação dos servidores nessa mudança.

Para isso, é necessário manter uma comunicação aberta, especialmente, para conscientizar sua equipe sobre novidades. É preciso incluir o servidor público desde o início da implementação.

Se o cidadão é uma peça-chave para identificar os principais gargalos da administração pública, os profissionais que trabalham para o governo também são. Essas pessoas sabem, melhor do que ninguém, o que pode ser otimizado e o que rouba mais tempo no seu dia a dia. Além disso, elas estão em contato direto com a população.

A ideia é aproximar a gestão pública de quem realmente utiliza as suas soluções, entendendo o que é prioridade e o que não é. Contando com a colaboração de todos, as chances de que a adoção de novas tecnologias seja mais eficiente aumentam significativamente. Isso também ajudará a diminuir a resistência às mudanças.

A eficiência da gestão pública é uma combinação entre resultados positivos, com o mínimo de esforços e custos reduzidos. De certa forma, é possível conseguir tirar o máximo de proveito possível dos recursos disponíveis. Por isso, a tecnologia e a inovação no setor público têm um papel tão importante, criando soluções de valor para toda a população.

Se você gostou deste conteúdo e quer receber outros materiais sobre inovação no setor público, assim como outros assuntos relacionados, assine nossa newsletter e tenha nossas novidades no seu e-mail!

Navegue por tópicos

    Inscreva-se na nossa newsletter

    WhatsApp