Blog

Importância de uma gestão pública proativa

Escrito por:Digix 18/03/2024 3 min

*Escrito por Diego Ferreira, diretor comercial da Digix e especialista em gestão pública

Para falar sobre gestão pública proativa, precisamos relembrar um fato que mudou muitas percepções acerca disto. 

Quem aqui se lembra da situação emergencial e sem precedentes que foi ocasionada pela pandemia mundial de Covid-19 

Este momento comprovou como é essencial que a gestão pública tenha capacidade de antecipar e se adaptar às mudanças emergentes para garantir a segurança e o bem-estar de todos os cidadãos. 

Neste artigo, vou explorar a importância de ter uma gestão pública proativa e como colocar isso em prática durante as atividades do dia a dia e também na criação de políticas públicas. 

Mas antes de tudo, por que a proatividade é essencial? 

A proatividade é a chave para enfrentar os desafios que surgem a cada dia. À medida que novas tecnologias, crises ambientais e mudanças sociais acontecem, a gestão pública precisa estar à frente da curva.  

Eu te garanto que não basta apenas reagir, é necessário antecipar cenários e agir preventivamente. Afinal, como diz o ditado, “prevenir é melhor do que remediar”. 

Confira agora 4 dicas para se tornar uma gestão pública proativa:  

  1. Antecipação de tendências

A gestão pública proativa começa com a análise de tendências e cenários futuros. Os gestores devem monitorar avanços tecnológicos, mudanças demográficas, questões ambientais e transformações sociais. Ao antecipar essas tendências, os governos podem tomar medidas preventivas e estar melhor preparados para lidar com os desafios que surgirão. 

  1. Inovação e transformação digital

A tecnologia é uma aliada poderosa para a gestão pública. Investir em inovação e transformação digital permite que os governos otimizem processos, melhorem a prestação de serviços e alcancem maior eficiência. A automação, análise de dados e plataformas digitais são ferramentas essenciais para uma gestão proativa. 

  1. Transparência

Uma gestão proativa envolve os cidadãos desde o início. Consultas públicas, participação em decisões e transparência são fundamentais. Os governos devem ouvir as necessidades da população, envolvê-la nas políticas e comunicar de forma clara e acessível. O engajamento cidadão fortalece a legitimidade das ações governamentais. 

  1. Adaptação

Os gestores públicos devem estar preparados para cenários imprevistos. A resiliência envolve a capacidade de se recuperar rapidamente de crises e se adaptar a novas circunstâncias. Planos de contingência, treinamentos e simulações são ferramentas que garantem uma gestão proativa diante de adversidades. 

Ao adotar uma abordagem proativa, a gestão pública se torna mais preparada e adaptável para mudanças emergentes. E, durante a pandemia, percebemos o quanto é fundamental termos ações imediatas e estratégicas por parte das autoridades públicas.  

Agora, me conta aqui nos comentários o que você já coloca em prática na sua instituição. 

Navegue por tópicos

    Inscreva-se na nossa newsletter

    WhatsApp