A educação é um direito de todos os brasileiros, conforme estabelece a Constituição Federal. Além disso, ela é fundamental para o desenvolvimento econômico e social de um país. Por esses motivos, todos merecem ter acesso a escolas públicas de qualidade.

Com os filhos estudando em colégios públicos de alto nível, os familiares vão se sentir mais valorizados pelo Estado. Isso contribui para os governos terem uma relação mais próxima com a população, o que ajuda no desenvolvimento de ações voltadas à prevenção de doenças e ao combate à violência, por exemplo.

Neste post, vamos mostrar como uma escola pública pode apresentar um excelente desempenho, as formas de verificar a qualidade do ensino, o funcionamento do Sistema de Avaliação Institucional Externa do Mato Grosso do Sul (SAIEMS) e o papel dos gestores públicos para garantir uma boa educação. Confira!

Verifique o que as escolas públicas de qualidade têm em comum

Há uma série de aspectos que permite uma instituição de ensino pública a ter uma performance diferenciada. Um deles é o clima favorável à aprendizagem em que o professor transmite o conhecimento com facilidade e tem um bom relacionamento com os alunos, motivando-os a participarem das atividades em sala de aula.

Também é necessário contar com um projeto pedagógico bem elaborado. A medida é muito importante para a montagem de um currículo escolar que desperte o interesse dos estudantes, incentive o uso adequado dos materiais didáticos e permita o alcance de bons resultados nas avaliações governamentais e da comunidade escolar.

Com a intenção de orientar as instituições de ensino a desenvolverem um trabalho mais qualificado, o Governo Federal lançou a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Esse documento consiste em uma referência do conteúdo a ser adotado em todas as etapas da educação infantil e dos ensinos fundamental e médio. Além disso, apresenta as metas de aprendizagem que devem ser conquistadas pelas escolas.

Contar com professores qualificados e engajados é outro aspecto que colabora para as escolas públicas terem resultados expressivos e superarem muitos desafios. Quando os docentes têm acesso a capacitações e são tratados com respeito pelos gestores públicos e pela comunidade escolar, fica muito mais fácil desenvolver um trabalho interessante com os alunos.

O uso da tecnologia para melhorar o aprendizado, a presença da família na escola e a oferta de atividades extracurriculares (aulas de música, teatro, etc.) são elementos que fazem a diferença na relação entre o colégio e os alunos.

Outra iniciativa que influi bastante na qualidade do ensino é utilizar adequadamente a infraestrutura da escola. Isso significa que a instituição deve receber um número de estudantes dentro da capacidade estipulada. Do contrário, os docentes terão problemas para realizarem um bom trabalho.

Há, ainda, outras ações que escolas públicas de qualidade realizam para garantir um bom aprendizado, por exemplo:

  • atenuar as diferenças na aprendizagem por meio de aulas de reforço;
  • promover e incentivar a capacitação continuada dos docentes;
  • fazer com que os alunos priorizem a assimilação de conteúdo para o cotidiano, em vez de valorizarem apenas as provas;
  • oferecer um apoio personalizado aos estudantes, principalmente aos que possuem mais dificuldades no aprendizado.

Resultados

Hoje, existem instituições de ensino público que apresentam uma performance superior a colégios privados em avaliações utilizadas pelo Governo, como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O Colégio Militar Dom Pedro II, em Brasília, e o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) são bons exemplos de que é possível contar com uma educação pública diferenciada e de alto rendimento.

Isso é possível graças a um trabalho que une profissionais qualificados, o envolvimento da comunidade escolar, a responsabilidade dos gestores públicos e um ambiente favorável à aprendizagem.

Saiba como atestar a real qualidade do ensino público

Para constatar se uma escola pública está desenvolvendo um bom trabalho, podem ser avaliados alguns fatores, por exemplo:

  • ambiente educativo (abrange a boa convivência entre os estudantes e o desenvolvimento de práticas que priorizem a socialização e reforcem a cidadania);
  • prática pedagógica (engloba o planejamento e a aplicação do conteúdo em sala de aula, permitindo que haja uma melhoria no aprendizado. Isso também envolve o diálogo sadio entre professor e aluno e a implantação de ações voltadas para aperfeiçoar o ensino);
  • ambiente físico escolar (a infraestrutura do colégio deve contar com ambientes limpos e bem conservados. Além disso, os móveis, os equipamentos e os materiais didáticos devem ser de boa qualidade);
  • avaliação interna (verifica se os alunos e os pais estão satisfeitos com as atividades realizadas pela escola. Essa iniciativa é essencial para identificar erros e buscar a melhoria contínua);
  • gestão escolar democrática (tem como meta envolver a comunidade escolar nas decisões e valoriza o papel dos conselhos escolares para reforçar a transparência e o diálogo na administração da unidade escolar).

A qualidade do ensino nos colégios também é verificada por avaliações, como o Ideb, Enem, o Saeb e a Prova Brasil.

Em geral, esses mecanismos analisam a notas obtidas nas provas de Português e Matemática. Eles também podem aplicar questionários socioeconômicos que buscam ter dados sobre a realidade dos estudantes e da comunidade escolar.

Conheça o exemplo do SAIEMS

Aliar conhecimento e o uso adequado das informações faz a diferença na qualidade do ensino. Pensando nisso, a Secretaria de Estado de Educação do Mato Grosso do Sul (SED-MS) adotou o Sistema de Avaliação Institucional Externa de Mato Grosso do Sul (SAIEMS). Essa ação propicia a SED-MS ter dados relevantes sobre o funcionamento de cada colégio.

As informações coletadas pela secretaria ajudam na definição de políticas públicas para a área educacional. Isso faz com que o processo de tomada de decisão seja mais rápido e eficiente, viabilizando a adoção de medidas para melhorar o ambiente escolar e a qualidade do ensino.

Há um questionário diferente para cada segmento. Os pais e os alunos têm uma representação de 25% na avaliação. Os demais integrantes participam com 100%. Para responder ao questionário, é preciso acessar o site www.saiems.sed.ms.gov.br.

Veja as medidas que um gestor público pode tomar para oferecer uma educação de qualidade

Priorizar a educação é um passo importante para que um gestor público cause um impacto positivo na vida da população. Mas de que forma isso pode ser feito?

Uma boa iniciativa é melhorar a qualidade do ensino e do atendimento oferecido aos pais e responsáveis. Um bom exemplo é o Estado do Amazonas que apostou na certificação ISO 9001 para aperfeiçoar o trabalho desenvolvido pelos colégios.

Outra ação que proporciona bons resultados é a elaboração de um plano de cargos e salários para os profissionais de educação. Essa atividade deve contemplar os que buscam o aperfeiçoamento constante e proporcionam aos estudantes um aprendizado de alto nível.

Com professores valorizados e devidamente remunerados, a motivação em buscar a melhoria contínua aumenta consideravelmente. Isso é muito relevante para que a escola ofereça um ensino mais qualificado para os alunos.

Além disso, é importante que haja uma política educacional, cujo foco seja a construção do currículo escolar com a participação de professores, pais e alunos. Sem dúvida, uma gestão democrática contribui para melhorar o diálogo e tornar o ambiente de ensino mais receptivo para todos.

O investimento em infraestrutura e equipamentos é outro aspecto crucial. Hoje, as escolas devem ter computadores e um acesso à internet banda larga, caso queiram ser atraentes para os alunos.

Se você deseja ter mais informações sobre como é possível contar com escolas públicas de qualidade, entre em contato conosco. Estamos à disposição para tirar todas as suas dúvidas.