A gestão data driven promete transformar a maneira que a administração pública é feita, otimizando decisões que poderão ser tomadas sobre dados que revelem as necessidades reais da população.

Uma decisão melhor sempre é aquela baseada em dados. Em empresas do setor privado, a alta disponibilidade de informações e as novas ferramentas que permitem a análise desse volume de dados com eficiência permitem a identificação de necessidades reais do cliente e o desenvolvimento e entrega de produtos que realmente atendam essas demandas.

No setor público, os dados são ainda mais importantes, pois é necessário justificar cada investimento realizado para a população. Neste artigo, explicaremos melhor como a gestão data driven pode revolucionar essa área e transformar o setor estatal. Confira!

O que é gestão data driven?

O data driven não é novidade no setor privado, já que as empresas mais bem-sucedidas do mundo utilizam há alguns anos o poder dos dados para moldar seus produtos e compreender com mais clareza o seu público, tomando decisões mais acertadas e conquistando uma parcela maior do mercado.

Mas ainda são relativamente poucos os órgãos estatais em todo o mundo que incorporam o data driven em seu processo de tomada de decisões. Só que isso deve mudar nos próximos anos, pois a alta disponibilidade de dados diretamente relacionados aos interesses públicos pressionará representantes a adotar um modelo mais eficiente de gestão — a própria data driven.

A gestão data driven nada mais é que a utilização de dados de alto valor para guiar a estratégia de administração pública de um órgão governamental.

Com isso, é possível fazer escolhas que reflitam melhor as necessidades da população e os objetivos daquele governo.

Se existe uma ambição de melhorar a mobilidade de uma cidade, por exemplo, em vez de simplesmente reformar avenidas e construir viadutos, é possível levantar dados que vão ilustrar os deslocamentos mais comuns da população e, com isso, direcionar as ações governamentais para intervenções que realmente impactarão o trânsito positivamente.

Também é possível mensurar os resultados de cada processo realizado pelo poder público para entender se a performance dele é satisfatória ou se existe um desperdício de recursos que precisa ser corrigido.

Processos ineficientes são extremamente prejudiciais para o desempenho de um órgão público, mas, sem a visão imparcial proporcionada pelos dados, é complicado tomar as melhores decisões. Ao mesmo tempo, se existem processos funcionando bem, é necessário coletar e analisar dados que provem isso, para que esse mesmo modelo seja replicado em outras áreas.

A gestão data driven é uma metodologia que revolucionará o poder público, pois, com a utilização de informações reais coletadas e analisadas por ferramentas de inteligência, suposições, escolhas políticas e decisões unilaterais serão substituídas pela precisão dos dados.

Quais dados podem ser acompanhados?

Todos os tipos de dados relevantes para as demandas da população e os objetivos de um governo podem ser acompanhados e utilizados para um processo de tomada de decisões mais preciso na gestão data driven.

Se um órgão de saúde percebe um gargalo em seu sistema de atendimento, por exemplo, é possível coletar dados sobre exatamente qual tipo de demanda da população está sobrecarregando a área.

Supondo que a razão para isso seja algum tipo de doença relacionada com a desnutrição, o governo pode investir na correção preventiva desse problema com a alimentação escolar, ao mesmo tempo em que reforça o atendimento para essa mazela específica. Essa ação conjunta vai trazer resultados mais eficientes tanto do ponto de vista do custo-benefício quanto do da resolução da situação.

É possível coletar uma imensidão de dados para fornecer suporte à administração pública. Conheça alguns exemplos:

  • informações do consumo de energia podem guiar os investimentos em geração e transmissão de eletricidade;
  • dados sobre os crimes registrado em uma cidade podem direcionar a utilização ostensiva das forças policiais e a realização de ações preventivas;
  • a análise conjunta das demandas de mão de obra qualificada pode servir para orientar a criação de escolas públicas, cursos técnicos e superiores.

Contudo, para a gestão data driven ser ainda mais eficaz, além da capacidade de coletar, analisar e interpretar dados de inúmeras áreas, é necessário também integrar todas essas informações para permitir a elaboração de estratégias que abarquem todos os setores do poder público.

Logo, se o projeto de um governo tem como objetivo aprimorar os resultados econômicos de uma nação, as decisões que vão levar a isso serão feitas à luz de dados que revelarão como investimentos em educação, redução de impostos, incentivos econômicos e outras medidas levarão, de forma conjunta, à resolução desejada.

Como garantir a transparência nas operações?

Outra vantagem do data driven para o poder público está relacionada à transparência. É muito importante que as ações de um governo sejam visíveis para a população, assim como os seus gastos e investimentos.

Como o poder público toma ações de interesse a todos, essa transparência é mais que desejável: é fundamental para que exista uma relação de confiança entre o povo e o estado. E a melhor forma de demonstrar a performance da administração pública é com dados confiáveis.

No Brasil, é possível acessar inúmeros dados sobre o governo no Portal da Transparência, mas só isso não basta.

A disponibilização de informações sobre as ações do setor público é um primeiro passo necessário, só que a maior parte das pessoas não será capaz de entender exatamente o que esses dados significam.

Portanto, para uma transparência verdadeira, além do acesso, é importante que exista clareza nas informações. Nesse caso, com a aplicação do data driven, é possível extrair análises que tragam essa clareza para a população.

Além disso, quando for preciso explicar um investimento ou gasto de recurso público para a população, os dados que o justificam serão a melhor argumentação possível. Em vez de fazer uma escolha baseando-se apenas na visibilidade que ela terá com o seu público eleitor, um administrador público pode esclarecer uma medida impopular com os dados exatos que fundamentam sua necessidade.

E agora que você já sabe o que é a gestão data driven e como ela deve revolucionar o setor público nos próximos anos, que tal compartilhar este artigo nas redes sociais e marcar os seus colegas que vão gostar de aprender sobre isso?